DESTAQUE – Aldeense é destaque no I Fórum Intermunicipal de Tecnologia Assistiva de Niterói

Os ganhadores do Hackathon de Tec. Assistiva foram os alunos: Sarah Tamy (São Gonçalo), Jaílson Luís (Niterói), Matheus Duarte (Niterói ) e Thiago Bragança (São Pedro da Aldeia) com a temática de hipersensibilidade em específico com pessoas autistas.

 

Nos dias 30 e 31 de outubro de 2019, foi realizado o I Fórum Intermunicipal de Tecnologia Assistiva em Niterói. O evento faz parte da programação do V Simpósio de Cidades Inteligentes, que esse ano tem como foco “Cidade Inteligente para todos”. O Fórum propõe ser um espaço para discutir, fomentar e apresentar as soluções em tecnologias assistivas que contribuem para que os espaços da cidade se tornem mais inclusivos e acessíveis para todos. Partindo da premissa de que a cidade inteligente para todos deve superar os desafios de acessibilidade – na mobilidade, na educação, na saúde, na cultura, nos espaços públicos de lazer, na inserção no mercado de trabalho, na comunicação e tantas outras áreas –, objetiva construir de forma colaborativa esse movimento, criando uma rede de atores no fomento, pesquisa e produção de tecnologias assistivas.

A iniciativa é da Prefeitura Municipal de Niterói, sob a coordenação da Subsecretaria de Ciência e Tecnologia e Coordenação de Tecnologia Assistiva. O simpósio contava como atração um Hackathon, evento este que reuniu sete equipes de universidades diferentes com o objetivo de num prazo de doze horas desenvolverem uma ideia de produto que vise a inclusão de pessoas com deficiência. O evento que tinha duração prevista de 12h teve o pódio compostos por três equipes da UFF. Todas essas equipes pertencentes ao curso de Desenho Industrial, dentre eles tivemos um jovem aldeense, que quando cursou o Ensino Médio no CIEP 146 Profº Cordelino Teixeira Paulo, em São Pedro da Aldeia, dividiu a Presidência do Grêmio Estudantil com o digital influencer Wagner Muniz. O fato é que ambos jovens estão decolando e conquistando seu respectivo espaço, dando orgulho para a cidade e inspirando outros jovens.


Os ganhadores do Hackathon de Tec. Assistiva foram os alunos: Sarah Tamy (São Gonçalo), Jaílson Luís (Niterói), Matheus Duarte (Niterói ) e Thiago Bragança (São Pedro da Aldeia) com a temática de hipersensibilidade em específico com pessoas autistas. O projeto da equipe batizada de borboleta azul levou o nome de “concha” fazendo referência a sensação de proteção que alguém com espectro autista ao estar aconchegado seja em um abraço ou ambiente. A ideia em si consistia em um sistema de filtragem de luz e som para autistas hipersensíveis. Dentre os tópicos abordados a estética do produto (foi adotado o formato próximo a um par de óculos convencionais com finalidade de não constranger o usuário) e especificações técnicas tem por objetivo abraçar a necessidade de pertencimento ao ambiente, como dito pelo grupo: “O ambiente tem que acolher o usuário para que ele sinta que pertence àquele local”, finalizou.

Painéis:
– Tecnologia Assistiva no contexto das Cidades Inteligentes
– Educação, Comunicação e Cultura na Indústria 4.0
– Pesquisa e Inovação em Tecnologia Assistiva
– Espaço Urbano, Tecnologia e Acessibilidade
Atrações:
– Workshops, Palestras, Talks, Exposição e Hackathon