GREVE DOS BANCOS – Greve dos bancários fecha mais de 7 mil agências no 1º dia, diz Contraf

Categoria rejeitou proposta de reajuste salarial de 6,5% da Fenaban. Sindicatos pedem reposição da inflação mais 5% de aumento real.

Bancários decretaram greve a partir desta terça-feira

Bancários decretaram greve a partir desta terça-feira (6) (Foto: Heloise Hamada/G1)

Bancários em quase todo o país entraram em greve a partir desta terça-feira (6) por tempo indeterminado. Segundo a Confederação Nacional dos Trabalhadores do Ramo Financeiro (Contraf-CUT), a paralisação fechou 7.359 agências, centros administrativos, Central de Atendimento (CABB) e Serviço de Atendimento ao Cliente (SAC) tiveram as atividades paralisadas.

De acordo com o Banco Central, o país tem 22.676 agências bancárias instaladas no país, segundo dados de julho.

A Fenabran não divulgou balanço de agências fechadas neste 1º dia de greve, ressaltando apenas que a população tem à sua disposição uma série de canais alternativos para realizar transações financeiras.

Segundo a Contraf, uma nova rodada de negociações com os bancos foi marcada para sexta-feira, a partir das 11h, em São Paulo.

Até a última atualização desta reportagem, pelo menos 25 estados e o Distrito Federal tinham agências fechadas.

Rio de Janeiro
Os bancários iniciaram greve por tempo indeterminado e em Petrópolis, na Região Serrana do Rio,a categoria vai adotar uma espécie de rodízio. As agências vão alternar a abertura para atendimento ao público. Nesta terça, Bradesco, Banco do Brasil e Caixa Econômica Federal ficam fechadas.

No Norte Fluminense, 85% da categoria entrou na paralisação, de acordo com o presidente do sindicato, Hugo Diniz. Das 60 agências da região, 45 se encontram fechadas. Segundo o sindicato, a adesão em São João da Barra e Campos dos Goytacazes, que têm 45 agências, é de 100%.

Na Região dos Lagos, a greve tem 100% de adesão nas 58 agências, segundo o sindicato que representa a categoria. Nas cidades da região, somente os casos essenciais serão atendidos pelos funcionários, como desbloqueio de cartões para idosos. O efetivo nas agências será de no máximo 30%.

Na capital, o primeiro dia da greve nacional dos bancários no Rio de Janeiro começou com 120 agências e cinco prédios administrativos fechados.

Fonte G1