GREVE DOS CAMINHONEIROS – Desabastecimento afeta pelo menos um posto de combustíveis em São Pedro da Aldeia

Posto no bairro Estação está com estoque zerado por causa da greve dos caminhoneiros. Outros postos têm longas filas

 

Pelo menos um posto está sem combustíveis em São Pedro da Aldeia, na Região dos Lagos do Rio, nesta quarta-feira (23) devido à greve dos caminhoneiros, que acontece em todo o território nacional pelo terceiro dia seguido. A cidade tem aproximadamente oito postos de combustíveis.

Posto está sem diesel e gasolina nesta quarta-feira (Foto: Juan Andrade/G1)

Segundo um funcionário do posto desabastecido, que fica no bairro Estação, o diesel, a gasolina e o álcool não foram chegaram até as bombas porque o transporte não está sendo feito pelos caminhoneiros. Com isso, o estoque foi zerado. Apenas o Gás Natural Veicular (GNV) é encontrado pelo consumidor deste posto na tarde desta quarta.

No bairro Vinhateiro, às margens da RJ-140, na estrada que liga São Pedro a Cabo Frio, um outro posto tem longas filas nas bombas de gasolina e diesel. A reportagem flagrou 12 carros na espera para o abastecimento no local.

Também há registros de longas filas em postos de Cabo Frio e alguns deles enfrentam problemas no abastecimento das bombas. A previsão é que a maioria só tenha combustível para venda, como gasolina e diesel, até a sexta-feira (25).

Posto na RJ-140 está com uma longa fila para gasolina nesta quarta-feira (23) (Foto: Juan Andrade/G1)

A greve
A mobilização nacional chega ao terceiro dia. Além da última alta do diesel, os caminhoneiros reclamam também dos frequentes reajustes que fazem parte da política de preços da Petrobras, em vigor desde julho.

Em Maricá, os caminhoneiros bloquearam parcialmente a RJ-106 na manhã desta quarta-feira. O protesto ocorre na altura do km 30, nos dois sentidos, tanto São Gonçalo quando Saquarema. Há lentidão no trecho.

O ministro da Fazenda, Eduardo Guardia anunciou que o governo eliminará a Cide (tributo) que incide sobre o diesel quando o Congresso Nacional aprovar o projeto da reoneração da folha de pagamentos.

No mesmo anúncio, Guardia também informou que o governo acabará, em 2020, com a desoneração da folha em todos os setores. Se o projeto de reoneração for aprovado, o Legislativo fará, na prática, com que haja aumento nas receitas da União, que em troca cortará o tributo incidente sobre o diesel.

As medidas são anunciadas em meio a protestos em todo o país contra o aumento no preço dos combustíveis. A Petrobras já anunciou que a política de reajuste dos preços não mudará. Segundo a assessoria do Ministério da Fazenda, a arrecadação anual com a Cide sobre o diesel é de cerca de R$ 2,5 bilhões.

Fonte G1/Inter TV


Publicidade: