JUVENTUDE ALDEENSE COM WAGNER MUNIZ – A resiliência da jovem Nara Almeida

Por Wagner Muniz

“A resiliência de hoje é resultado da renitência de ontem. Portanto desistir jamais”. — Iago Ribeiro

 

O presente estudo tem por finalidade abordar uma questão que ainda é objeto de estudo para os sociólogos, antropólogos e cientistas políticos. A capacidade do indivíduo em lidar com situações adversas, superar pressões, obstáculos e problemas, e reagir positivamente a eles sem entrar em conflito psicológico ou emocional; resiliência. Tendo como base o fato que recentemente comoveu os internautas: a morte da modelo e influenciadora digital Naiara Almeida, conhecida como Nara Almeida, de 24 anos, que estava internada no Hospital Nove de Julho, em São Paulo, onde lutava contra um câncer de estômago, descoberto em meados de 2017.


De acordo com o site oficial das Organizações das Nações Unidas, a Organização Mundial da Saúde (OMS) afirma que “quase todas as famílias do mundo são afetadas pelo câncer de alguma maneira”. Aproximadamente 14 milhões de novos casos são registrados por ano globalmente, e a OMS calcula que essas notificações devam subir 70% nas próximas duas décadas. O câncer é a segunda maior causa de mortes no mundo, sendo que, por ano, 8,8 milhões de pacientes morrem. A maioria dos óbitos ocorre em países de rendas baixa ou média. Segundo a OMS, foram feitos muitos progressos na prevenção, no tratamento e nos cuidados paliativos da doença. Mas o acesso a esses avanços é desigual. Em muitos países, o câncer é diagnosticado muito tarde, o tratamento é caro ou inacessível e serviços paliativos não estão disponíveis.


A luta da jovem de 24 anos contra o câncer ganhou força ao ser compartilhada em suas redes sociais. Não pelo motivo de pena, e sim, pelo motivo de perseverança e da vontade de viver que a influenciadora transmitia e despertava em seus seguidores. Através de suas publicações no Instagram, por exemplo, a modelo fazia questão de ressaltar que não devemos desistir de nossos sonhos e que acima de tudo, devemos ter fé na vida e ver a oportunidade a cada amanhecer.
Diversos famosos como o jogador Alexandre Pato (que a ajudou através de uma quantia para o seu tratamento), o youtuber Whindersson Nunes, a atriz Tatá Werneck (que mantinha frequente contato com ela), o apresentador Hugo Gloss, o ator Rafael Zulu, a apresentadora Adriane Galisteu, a modelo Babi Muniz e outros famosos, não famosos, celebridades e subcelebridades prestaram solidariedade à família e aos seguidores da jovem com belas mensagens positivas através da mídia social.


Apesar das duras sessões de quimioterapia, radioterapia e subordinação aos fortes medicamentos, a Nara não resistiu e foi a óbito. A jovem sempre foi muito positiva em relação à sua cura, e também aos obstáculos e empecilhos propostos pela vida e pelo caminho já percorrido. A modelo ensinou a aproximadamente cerca de 5 milhões de seguidores a não se apegar em coisas fúteis e valorizar o nosso maior direito natural, que é a vida. Ela partiu, mas deixou o seu legado, inspirando jovens como eu e você a seguir e não limitar-se, pois temos que ter fé na vida, fé no amanhã e fé no estudo.


Publicidade: