JUVENTUDE ALDEENSE – Juventude, expressão e participação

A Importância do Jovem na Política

Por: Wagner Muniz

Num país onde paira a descrença total na política e nos políticos que hoje exercem seus mandatos, urge a criação de um canal que dialogue com a juventude, que permita que ela faça a leitura que quiser do atual momento do país e, sobretudo que a considere como um dos sujeitos que propiciam a mudança.

Wagner Muniz

De acordo com o Estatuto da Juventude (Lei Federal nº 12.852, de 2013), que determina quais são os direitos das jovens e dos jovens que devem ser garantidos e promovidos pelo Estado brasileiro, configura-se legalmente a parcela do jovem como sujeito de direitos, ou seja, mais do que perceber o jovem como sujeito social, é necessário entender que ele tem um papel fundamental na construção de um país: é pela juventude que a sociedade percebe o novo, vê-se questionada e depara-se com novos desafios, sendo convidada (e muitas vezes obrigada) à transformação.

No entanto, apesar do cenário de “terra arrasada”, momento de caos absoluto e de descontentamento total, há de se ter luz no fim do túnel, e, pois se continuarmos com a negação da política como instrumento de resolução dos conflitos sociais, seremos levados a um submundo já conhecido dos porões de outra ditadura. Inclusive, nas décadas de 60 e 70, a participação dos jovens foi estratégica para o fim do regime militar ao representarem a grande resistência a esse regime político.

O Brasil precisa de paz social, paz política, e estabilidade jurídica. O país está matematicamente dividido, num clima hostil e de ódio entre as ideologias de direita e de esquerda. É preciso repensar o país, redimensionar e reafirmar o funcionamento das nossas instituições. Através do protagonismo juvenil, devemos promover a participação ativa das crianças, jovens e adolescentes pela defesa de seus direitos, e comprometê-los com o exercício de sua plena cidadania.

Somente a participação social e política da juventude organizada em entidades estudantis, nos processos de disputa eleitoral e de decisão da vida nacional, para se construir um novo tempo de um Brasil mais plural, mais transparente onde a ética seja a bússola que norteie a gestão da coisa pública e a política volte a ser um instrumento eficaz de produção, de diálogo e de paz social.

 

Conheça um pouco do Colunista Wagner Muniz

O Wagner Muniz é um jovem aldeense com 18 anos, que estudou no CIEP 146, e hoje, está se graduando em Direito na Estácio de Cabo Frio, estudioso e dedicado, são alguns adjetivos que o define, ele se destaca no que faz, e com isso, repercutiu na mídia quando em 2016, participou de um projeto da ALERJ, voltado para os jovens e representou a cidade de São Pedro da Aldeia. Logo após, em 2017, foi convidado para gravar um comercial em Nova Friburgo sobre política, e até hoje, ele conquista milhares de seguidores em suas redes sociais, devido ao seu carisma e empoderamento. Contudo, ele será colunista neste jornal, e terá um quadro jornalístico que se chamará: “JUVENTUDE ALDEENSE — com Wagner Muniz”, que abordará diversos assuntos, porém, em seu primeiro artigo, falará sobre: “A Importância do Jovem na Política”.

Diretora do CIEP 146

“No CIEP 146 e na cidade de São Pedro da Aldeia, o jovem Wagner Muniz, se tornou uma referência para os alunos quando participou do Parlamento Juvenil da Assembleia Legislativa do Estado do Rio de Janeiro, sendo em seguida, eleito Presidente do Grêmio Estudantil da escola, com 97% dos votos, sempre conectado com as informações através das plataformas midiáticas, o que contribuiu para despertar no jovem rapaz um sentimento de responsabilidade cidadã e a vontade de participar ativamente das discussões políticas do seu município, do seu estado e do país. Pensando nisto, o CIEP BRIZOLÃO 146 tem atuado no sentido de incentivar a participação dos jovens na vida política do país”, relatou Izabel Cristina, a Diretora-Geral do CIEP 146.

Alguns integrantes do Grêmio Estudantil

Através de suas redes sociais, o Wagner Muniz relata um encontro inusitado que ocorreu ontem, dia 12/04, com uma senhora de 64 anos, que reside na cidade há mais de 20 anos, que atente pelo nome Ivonete de Lima, advogada, que estudou na UERJ, na década de 80, junto com os então Ministros do Supremo Tribunal Federal: Luís Roberto Barroso e Luiz Fux. Na oportunidade ele a entrevistou e ela disse: “Os jovens são uma luz no fim do túnel, e têm uma grande responsabilidade, pois, a cada vez mais, eles estão se politizado para o bem, visto que, os Três Poderes, majoritariamente, utilizam-se de ideias retrógradas e deterioram”, e mais, no momento do diálogo, segundo Wagner Muniz, ela alegou que precisamos investir na educação e afastar-se de preconceitos, termos mais amor com o nosso próximo e sermos a diferença na qual esperamos.

“A juventude aldeense tem se empenhado e lutado para conquistar o seu devido espaço e reconhecimento, e isso, não se pode negar, em hipótese alguma, haja vistas, jovens em nosso município que: cantam, dançam, atuam, participam de competições em modalidades esportivas estaduais, criam e administram marcas de roupas, e até mesmo gravadoras locais, produzem músicas e videoclipes, participam de movimentos sociais e organizações estudantis, dedicam-se à arte fotográfica e tantos outros que fazem a diferença em vários outros contextos que não recebem devida atenção”, finalizou o colunista, Wagner Muniz.


Publicidade: