MANIFESTAÇÃO – Educação e Saúde de Cabo Frio fazem ato contra atrasos e demissões

Manifestação reúne cerca de 250 pessoas, segundo o sindicato. Categorias estão em greve; Prefeitura diz que tenta cumprir meta do MP.

Prefeitura de Cabo Frio 1

A Prefeitura de Cabo Frio confirmou na última sexta-feira (1º) a demissão em massa de servidores do município. Segundo o presidente do Sindicato dos Funcionários da Saúde, não há oficialmente um número de demitidos, mas as demissões podem atingir consideravelmente o atendimento à população.

Profissionais da Educação e da Saúde de Cabo Frio, Região dos Lagos do Rio, realizam uma manifestação em frente ao Hospital do Jardim Esperança na manhã desta segunda-feira (4). As classes reivindicam os pagamentos dos salários e benefícios atrasados, como vale transporte, além da transparência nas demissões na Saúde anunciadas pela Prefeitura.

Segundo o presidente do Sindicato dos Funcionários da Saúde, Gelcimar Almeida, o ato reúne cerca de 250 pessoas com cartazes e gritos de ordem.

Os profissionais da Saúde estão em greve desde o dia 30 de maio. A categoria afirma que os servidores estão com pagamento em atraso desde maio e cobra benefícios, como o adicional noturno e de insalubridade dos servidores. Segundo a assessoria de imprensa da Prefeitura, a secretária da pasta se reuniu com o prefeito para definir medidas nesta segunda-feira.

Os profissionais de Educação de Cabo Frio estão em greve desde o dia 13 de junho. Eles alegam que estão sem receber o 13º salário de 2015 e alguns profissionais não recebem pagamento desde abril.

Demissões
A Prefeitura de Cabo Frio confirmou na última sexta-feira (1º) a demissão em massa de servidores do município. Segundo o presidente do Sindicato dos Funcionários da Saúde, não há oficialmente um número de demitidos, mas as demissões podem atingir consideravelmente o atendimento à população.

“Queremos mais transparência do poder público em relação a essas demisões. A Prefeitura ainda não nos deu nenhum posicionamento”, afimou Gelcimar Almeida.

Inicialmente, foram demitidos 18 médicos no Hospital da Mulher, 28 médicos e 24 enfermeiros/técnicos de enfermagem no Hospital do Jardim Esperança, no Hospital da Criança foram quatro neuropediatras, segundo o sindicato.

No Hemolagos, único hemocentro da região, a coleta de sangue foi suspensa desde o sábado (2) por conta do desligamento de dois técnicos de enfermagem que faziam o trabalho.

Prefeitura diz que tenta se adequar
A Prefeitura de Cabo Frio informou, por meio de nota enviada pela assessoria de imprensa,  que está tomando medidas para se adequar a recomendação do Ministério Público, que especifica pagar todos os servidores até o 5º dia útil.

“Considerando a brusca queda na arrecadação financeira do município, é necessária a redução dos serviços prestados pelo poder público. Vale ressaltar que os salários dos servidores da Saúde estão em dia, tendo em vista que o mês de junho só vencerá no 5º dia útil deste mês de julho”.

Fonte G1/Inter TV