REGIÃO DOS LAGOS – Duas pessoas são internadas com suspeita de meningite em Rio das Ostras

Secretaria Municipal de Saúde aguarda o resultado de exames.

Um dos jovens com suspeita de meningite está internado no Pronto-Socorro de Rio das Ostras (Foto: Cadu Alves/Inter TV)

Dois jovens de 19 anos foram internados com suspeita de meningite nesta quinta-feira (28) no Pronto-Socorro de Rio das Ostras, no interior do Rio. O jovem com estado de saúde mais grave foi transferido para o Instituto de Infectologia São Sebastião, no Rio de Janeiro, ainda nesta quinta.
De acordo com a Secretaria Municipal de Saúde, os exames necessários para confirmar o diagnóstico dos pacientes já foram solicitados pela unidade. No entanto, a unidade suspendeu a visita a pacientes internados por tempo indeterminado para diminuir o fluxo de pessoas e evitar contaminação.
O outro adolescente continua internado na unidade e aguarda transferência, que foi solicitada pela Prefeitura. De acordo com a Secretaria Municipal de Saúde, ele está sedado e recebeu a medicação antibiótica para o tratamento.
A reportagem entrou em contato com a assessoria de comunicação da Prefeitura de Rio das Ostras e aguarda informações sobre quais sintomas os pacientes apresentaram e qual a previsão para o resultado do exame que irá confirmar o diagnóstico.

Sobre a doença

A meningite é um processo inflamatório das meninges, membranas que envolvem o cérebro e a medula espinhal. Segundo informações do Ministério da Saúde, a doença pode ser causada por agentes infecciosos, como bactérias, vírus, parasitas e fungos, ou também por processos não infecciosos.
“As meningites bacterianas e virais são as mais importantes do ponto de vista da saúde pública, devido sua magnitude, capacidade de ocasionar surtos, e no caso da meningite bacteriana, a gravidade dos casos”, diz o trecho publicado no site do Governo Federal, Portal da Saúde.
A transmissão ocorre de pessoa a pessoa, através das vias respiratórias, por gotículas e secreções da nasofaringe, havendo necessidade de contato próximo e prolongado ou contato direto com as secreções respiratórias do paciente.
Os principais sinais e sintomas são febre, dor de cabeça, vômitos, náuseas, rigidez de nuca e/ou manchas vermelhas na pele (petéquias).