SÃO PEDRO DA ALDEIA – ENCERRAMENTO DO PROGRAMA “COZINHA BRASIL” É MARCADO POR PALESTRA E OFICINA DE EDUCAÇÃO ALIMENTAR

O encerramento do Programa “Cozinha Brasil”, na quinta-feira (13), em São Pedro da Aldeia, foi marcado pela realização da palestra de Rotulagem Nutricional e da oficina de Educação Alimentar. Ao todo, cerca de 380 pessoas participaram das duas semanas de atividades e tiveram a oportunidade de esclarecer dúvidas e receber orientações sobre nutrição, alimentação saudável, aproveitamento integral de alimentos, segurança alimentar, técnicas de higienização e conservação, planejamento de cardápio, dicas de receitas e consumo consciente voltado à prevenção de doenças, além de degustarem pratos à base de ingredientes naturais. Dividida em duas etapas, a programação de oficinas e palestras aconteceu no Horto Escola Artesanal, fruto de uma parceria entre a Prefeitura aldeense e o Serviço Social da Indústria (SESI), do Sistema Firjan.

Prestigiando o último dia de programação, o secretário de Agricultura, Abastecimento, Trabalho e Renda, Dimas Tadeu, destacou o sucesso do “Cozinha Brasil” no município. “Foram quase 400 pessoas durante essas duas etapas do Programa, envolvendo tanto o público prioritário dos CRAS e da Assistência Social quanto o público em geral, moradores e até mesmo pessoas de outras cidades, de diferentes idades e perfis, jovens, idosos, homens e mulheres. Todos os participantes saíram muitos satisfeitos e motivados em colocar em prática os conhecimentos no seu cotidiano, isso é sinal de que foi muito positivo. Nós esperamos ter outros momentos iguais a esses, levando também para algumas comunidades para ampliar o alcance de projetos como o ‘Cozinha Brasil’, que leva saúde e uma consciência alimentar para a vida da população, com enfoque no reaproveitamento de alimentos e em uma economia doméstica. Ficamos muito felizes com essa parceria de sucesso”, disse.

Realizada em agosto, o primeiro ciclo de oficinas foi direcionado aos usuários inscritos nos seis Centros de Referência da Assistência Social (CRAS) e no Centro de Referência Especializado de Assistência Social (CREAS), técnicos, gestores e coordenadores, dentre outros profissionais da Secretaria Municipal de Assistência Social e Direitos Humanos. Já a segunda etapa de atividades foi voltada ao público livre e envolveu, além de oficinas, palestras de Rotulagem Nutricional. De forma simples e didática, as palestras abordaram temas como a classificação dos alimentos, conforme preconizado pelo Guia Alimentar para a População Brasileira, a importância da verificação da lista de ingredientes e instruções para a interpretação adequada das informações nutricionais disponíveis nos rótulos das embalagens de produtos alimentícios, com base na leitura comparativa de componentes descritos na tabela, como a quantidade de proteínas, carboidratos, aditivos químicos, fibras alimentares, gorduras totais, gorduras saturadas, gorduras trans, açúcar e sódio.

Ao longo das oficinas de Educação Alimentar, as turmas receberam orientações acerca da higienização e valor nutricional dos alimentos, com foco na promoção da saúde e prevenção de doenças, a importância da adoção de hábitos saudáveis, aspectos psicológicos e comportamento alimentar, técnicas de preparo e conservação de alimentos e puderam esclarecer dúvidas. Também foram abordados conteúdos relacionados ao planejamento de cardápio, dicas de receitas naturais, com exibição do passo-a-passo em vídeo, além de estratégias para diminuir o desperdício a partir do reaproveitamento de partes que normalmente são descartadas, como caule, talos, cascas, folhas e sementes.

Durante as aulas, os participantes também puderam acompanhar de perto o preparo de receitas à base de ingredientes simples, práticos, de alto valor nutritivo e baixo custo, além de degustarem pratos como o “brigadeiro” de batata doce; torta “Abobrela”, à base de abobrinha e berinjela; pastel assado com talos de vegetais; bolo de casca de laranja; suco de inhame com hortelã e limão e o chamado “suco da horta”, feito a partir de couve, maracujá e limão. Conduzindo as demonstrações culinárias, estiveram à frente os cozinheiros do Programa, Risomar de Souza e Reginaldo Lima. A programação também incluiu certificado de participação e entrega de material impresso contendo as receitas apresentadas.

Responsável por ministrar as palestras e oficinas, a nutricionista Priscila Senra enalteceu a parceria firmada com o governo municipal e falou sobre o conteúdo programático das atividades desenvolvidas na cidade. “Tentamos trazer, de uma forma simples, assuntos complexos sobre nutrição e prevenção de doenças. Muitas vezes as pessoas já sabem o que é bom e o que traz malefícios à saúde, mas não entendem os porquês ou como funcionam os processos. A nossa ideia foi passar todas essas informações de uma maneira didática e acessível para melhorar a qualidade de vida das pessoas. Terminamos com a sensação de objetivo cumprido e com grande satisfação. Só temos a agradecer a Prefeitura pela confiança, pela disponibilização da estrutura e do espaço no Horto Escola e que futuramente outras parcerias surjam”, ressaltou.

Uma das alunas da oficina de Educação Alimentar, a aposentada Mônica Costa se mostrou satisfeita com a experiência. “Achei uma iniciativa muito interessante. São conhecimentos muito válidos e fáceis de colocar em prática, como por exemplo a parte da leitura dos rótulos, que era um hábito que eu não tinha, e as formas corretas de conservação dos alimentos para evitar a proliferação de bactérias. As dicas de receitas também foram ótimas, muito práticas e acessíveis, reaproveitando os alimentos, como os talos de vegetais, e outras partes que podem ser utilizadas depois. Foi um aprendizado extremamente positivo, de grande importância e com certeza vai tornar o meu dia a dia melhor”, salientou a moradora do bairro Praia Linda.

 

 

Fonte ASCOM/PMSPA

Por Raíra Morena