DICAS DA GABY – Da Espanha para o mundo

Por Gabrielly Costa

Atualmente, o que é mais difícil: encontrar a figurinha do Neymar para o álbum oficial da Copa do Mundo 2018 ou achar alguém que ainda não tenha ouvido falar de La Casa de Papel?

Exibida pela primeira vez em um canal de TV na Espanha, a série acompanha oito assaltantes (comandados por uma mente brilhante), que têm a missão de realizar o roubo mais perfeito da história: um assalto à Casa da Moeda do país. O plano consiste em distrair as forças policiais, a mídia e os 67 reféns para que o grupo passe o maior tempo possível dentro do prédio, sendo, assim, capaz de produzir bilhões de Euros.

A minissérie espanhola é um sucesso no mundo todo. Tanto que se tornou a série de idioma não-inglês mais vista da Netflix, responsável pelo lançamento internacional da obra. O grupo de ladrões, apelidados com nomes de cidade ao redor mundo, conquista simpatia e afeto ao longo dos capítulos. O desenvolvimento muito bem traçado dos protagonistas e suas motivações humanizam quem deveria ser “vilão” e faz com que o espectador acabe torcendo por aquele que ousa assaltar o lugar onde o dinheiro é fabricado, em detrimento dos agentes da lei.

La Casa de Papel oferece de tudo. Ação, suspense e intriga, além de boas atuações, uma ótima trilha sonora e um romance exagerado, são elementos que fazem do enredo um sucesso. No entanto, ao lembrarmos que os 22 episódios representam menos de uma semana dentro da Casa da Moeda, em Madri, fica difícil não perceber alguns furos gritantes do roteiro.

Apesar de ter sido criada como um projeto de apenas uma temporada, dividida em duas partes, o serviço de streaming americano anunciou em meados de abril a produção de uma terceira parte. Os capítulos de La Casa de Papel estão disponíveis no idioma original e dublados na Netflix.


Publicidade: